194: Nova temporada

Todos os anos, por esta altura, eu, a Tina e a Vera, aprontávamos o espaço que temos nas traseiras da nossa casa, ou antes, da casa da senhoria, para prepararmos um pequeno espaço confortável onde jantávamos ao fresco do fim da tarde, embora a Câmara tivesse roubado mais de metade do espaço que antes desfrutávamos, sob justificação de fazer obras na escarpa para segurança dos moradores.

Infelizmente, o ano passado, a Tina já não tinha capacidade para ajudar nestas tarefas e fui eu e a Vera que fizemos tudo. A Tina ainda fez algumas refeições no terraço – ela adorava – mas mês e meio depois, após uma agonia atroz, deixou de nos acompanhar e este ano apenas a temos em pensamento e em saudade imensa que nunca acabará.

E foi em homenagem à sua memória que eu e a Vera este ano (a Vera entrou hoje de férias), fizemos o mesmo que em anos anteriores. Tirou-se a coberta às mesas e cadeiras de jardim, foram limpas e regadas à mangueirada, chapéu de sol aberto e montado (apenas abrimos um dos três que temos), cadeiras colocadas nos seus lugares, instalei um projector de LED para iluminar o espaço e vamos começar a tomar ali as nossas refeições da noite (ao almoço, está um caloraço insuportável), sempre que o tempo o permitir.

Ficam umas imagens do acontecimento que não teve a presença do Prof. Marcelo (ele não vai a todas?) por indisponibilidade dele para vir tirar uma selfie…

24.Jun.2017

24.Jun.2017

17 horas ago cuidador cuidador
Dia de visita à campa da nossa querida Tina. As flores da semana passada ainda estavam boas, mas com…
Read More
17 horas ago24.Jun.2017
18.JUL-2016 - 18.JUN.2017

18.JUL-2016 – 18.JUN.2017

1 semana ago cuidador cuidador
Há 11 meses que partiste e ainda parece que foi ontem... Não te esquecemos minha querida, vives nos…
Read More
1 semana ago18.JUL-2016 – 18.JUN.2017
17.Jun.2017

17.Jun.2017

1 semana ago cuidador cuidador
Dia de visita à campa da nossa querida Tina. As flores da semana passada estavam boas (são mais resi…
Read More
1 semana ago17.Jun.2017
Há muitos jagunços merdosos que precisavam de ter passado por isto...

Há muitos jagunços merdosos que pre…

2 semanas ago cuidador cuidador
... para aprenderem a ser Homens com H muito grande, pois a maioria que não foi à tropa ou não fez a guerra do Ultramar, arriscando a vida vinte e quatro horas por dia, com esposa e filha(o)…
Read More
2 semanas agoHá muitos jagunços merdosos que pre…
12.Jun.2017

12.Jun.2017

2 semanas ago cuidador cuidador
Faz hoje, dia 12 de Junho de 2017, 53 anos que começámos a namorar. Foi no baile dos Santos Populares do Mercado de Algés, estava eu a actuar como vocalista do Conjunto Nice 64 e não resististe à minh…
Read More
2 semanas ago12.Jun.2017

[powr-hit-counter id=a81d009e_1496337005512]

153: 28.Dez.2016

Chegou a altura de promover uma limpeza de fim-de-ano nos meus sites, blogues, Facebook e outros registos espalhados pela Rede. Não só porque a disposição vai escasseando para a manutenção diária de tanta informação, como também para “limpar” certo tipo de lixo biológico que por esses sítios vegetam.

No Facebook apenas ficarei com o registo d ‘A Cozinha do Avô Chico embora nesse registo tenha criado páginas que antes ocupavam outras áreas de informação em registos separados.

Mas como músico e cantor, vivendo a música com um raro dom que me foi oferecido à nascença, não podia deixar desaparecer um registo que me fez chorar quando o vi e ouvi. De uma beleza rara sem igual, de uma sonoridade celestial que apenas quem dedica à música muito da sua vida, do seu amor e daquele dom especial de saber captá-la, aqui fica um vídeo que me emocionou  até às lágrimas e que partilho com todos os visitantes deste Blogue:

BRAVO!!!

André Rieu & Gheorghe Zamfir – Tribute to James Last
(Maastricht 2015)

24.Jun.2017

24.Jun.2017

17 horas ago cuidador cuidador
Dia de visita à campa da nossa querida Tina. As flores da semana passada ainda estavam boas, mas com…
Read More
17 horas ago24.Jun.2017
18.JUL-2016 - 18.JUN.2017

18.JUL-2016 – 18.JUN.2017

1 semana ago cuidador cuidador
Há 11 meses que partiste e ainda parece que foi ontem... Não te esquecemos minha querida, vives nos…
Read More
1 semana ago18.JUL-2016 – 18.JUN.2017
17.Jun.2017

17.Jun.2017

1 semana ago cuidador cuidador
Dia de visita à campa da nossa querida Tina. As flores da semana passada estavam boas (são mais resi…
Read More
1 semana ago17.Jun.2017
Há muitos jagunços merdosos que precisavam de ter passado por isto...

Há muitos jagunços merdosos que pre…

2 semanas ago cuidador cuidador
... para aprenderem a ser Homens com H muito grande, pois a maioria que não foi à tropa ou não fez a guerra do Ultramar, arriscando a vida vinte e quatro horas por dia, com esposa e filha(o)…
Read More
2 semanas agoHá muitos jagunços merdosos que pre…
12.Jun.2017

12.Jun.2017

2 semanas ago cuidador cuidador
Faz hoje, dia 12 de Junho de 2017, 53 anos que começámos a namorar. Foi no baile dos Santos Populares do Mercado de Algés, estava eu a actuar como vocalista do Conjunto Nice 64 e não resististe à minh…
Read More
2 semanas ago12.Jun.2017

[powr-hit-counter id=f5d1143e_1482934723636]

49: 29.Jul.2016

0-lutotransp200Hoje, deu-me para o sentimento, aliás, o sentimento não me tem largado desde o passado dia 17!

Alguns dirão: mas então o tipo anda a chorar a morte da esposa e anda a cantar todo satisfeito? Eu respondo:

Existiram ao longo dos meus 70 anos e 4 meses de vida, dois momentos extremamente dramáticos e que mesmo vivesse 200 anos, nunca os esqueceria: foram eles a morte do meu querido Pai, aos 16 anos de idade, e a morte de minha esposa Tina no passado dia 17 de Julho.

Embora a minha profissão não fosse a de músico, era este um hobby que tinha desde os 10 anos de idade (1956), altura em que comecei a pisar os palcos das Colectividades de Recreio lisboetas, no tempo em que nem Beatles, nem Shadows – com Cliff Richards – existiam como grupos de música pop.

No dia em que fui enterrar o meu Pai, segui directamente do mesmo cemitério onde a Tina foi a enterrar, para actuar num Baile de uma Colectividade em Linda-a-Velha. Não estava nas melhores condições psicológicas mas os meus camaradas de Conjunto ajudaram-me e deram-me a força necessária para fazer as quatro horas de actuação, como vocalista, tempo que durava uma “matinée” na época.

Escusado será dizer que a morte de meu Pai foi tão sentida, que ainda sinto-a como tivesse acontecido hoje. E os dois momentos dramáticos que acima referenciei, foram precisamente o ruído da terra a cair sobre os caixões. Quando isso aconteceu no momento da Tina descer à Terra, os sons chocaram-se no meu cérebro e a dor foi tremendamente aterradora.

Por isso e apesar de não ter alegria nem disposição para nada, não queria deixar de manifestar uma singela homenagem quer a meu Pai – que adorava a Tina -, quer à Tina, pelo texto que a seguir vou transcrever e que também deixei na minha página do Facebook.

Vou resumir a inserção neste espaço do vídeo que editei há pouco. Durante 50 anos (comecei em 1956) fui vocalista de vários grupos de baile. Foi na noite de Santo António (12 de Junho de 1964, num baile de Arraial dos Santos Populares, no Mercado de Algés) que unimos os nossos destinos durante 52 anos. Foi a cantar que a Tina se apaixonou por mim e eu retribui da mesma forma porque existiu química e, quando isso acontece, não existe nada, mas mesmo nada, que separe dois seres.

Nunca mais nos separámos até ao passado dia 17 de Julho em que ela definitivamente me deixou, sem um queixume, mas no maior sofrimento. Espero que agora se encontre em Paz, embora a dor teime em não sair de mim por esta separação.

Este vídeo contém uma canção de nome Amor que fazia parte do meu repertório musical e está cantada por mim, numa gravação ao vivo através de um gravador de cassetes nada profissional, daí a fraca qualidade de som. Apenas inseri o playback de imagem e escolhi esta canção porque era uma das preferidas da Tina e diz muito sobre o nosso amor.

Meu Amor, onde quer que estejas, dedico-te a tua canção preferida, como o fazia nos bailes onde sempre me acompanhaste.

A gravação original foi feita ao vivo numa Colectividade de Recreio onde actuámos e o Quarteto para Baile chamava-se Millennium2000, com o Zé Vasconcelos nos sintetizadores, o Rui nas guitarras eléctricas, o Pedro no baixo/vozes e eu na voz e na bateria.

Um beijo minha querida.

cropped-tina-transp.png

0-assinatura

24.Jun.2017
cuidador cuidador 17 horas ago

Dia de visita à campa da nossa querida Tina. As flores da semana passada ainda estavam boas, mas com… Read More

24.Jun.2017
18.JUL-2016 - 18.JUN.2017
cuidador cuidador 1 semana ago

Há 11 meses que partiste e ainda parece que foi ontem... Não te esquecemos minha querida, vives nos… Read More

18.JUL-2016 – 18.JUN.2017
17.Jun.2017
cuidador cuidador 1 semana ago

Dia de visita à campa da nossa querida Tina. As flores da semana passada estavam boas (são mais resi… Read More

17.Jun.2017
Há muitos jagunços merdosos que precisavam de ter passado por isto...
cuidador cuidador 2 semanas ago

... para aprenderem a ser Homens com H muito grande, pois a maioria que não foi à tropa ou não fez a guerra do Ultramar, arriscando a vida vinte e quatro horas por dia, com esposa e filha(o)… Read More

12.Jun.2017
cuidador cuidador 2 semanas ago

Faz hoje, dia 12 de Junho de 2017, 53 anos que começámos a namorar. Foi no baile dos Santos Populares do Mercado de Algés, estava eu a actuar como vocalista do Conjunto Nice 64 e não resististe à minh… Read More

[powr-hit-counter id=748d36e8_1488655915755]