301: 15.Nov.2018

Na passada segunda-feira. não fomos fazer a visita semanal à nossa querida porque o tempo não estava em condições e a situação económica não permite despesas extras. Penso que com a chuva que tem caído, as flores estarão mais ou menos boas e na próxima segunda-feira, se o tempo ajudar, iremos fazer-te a visita.

Este ano, o actual governo da geringonça, roubou-me os subsídios de férias e de natal para pagar o IRS do ano passado, ano em que apenas tive a minha pensão de reforma e o teu subsídio de “sobrevivência”, ao contrário do ano em que ainda eras viva, tínhamos as nossas pensões de reforma, e pagámos apenas o equivalente a um subsídio. Isto não é roubar?

Hoje, falei com a funerária que fez os teus serviços fúnebres em Julho de 2016, sobre os custos aquando do levantamento das tuas ossadas, para cremação e trazermos as cinzas para junto de nós. Ao preço de hoje, tudo incluído com o pote, são € 350,00, fora os cento e tal euros que teremos de pagar à Câmara Municipal de Lisboa pelo “registo” do levantamento das ossadas e o respectivo levantamento.

Até na morte se ganha dinheiro! Mas também gostava de trazer a lápide que tem a inscrição das datas, dos nomes e da tua fotografia, contudo, fui informado que tal não era possível porque a C.M.L. não autorizava!

Uma lápide – já nem queria as laterais – que foi comprada por nós e é a câmara que decide que é de sua pertença? Mas que merda de País é este em que o roubo é oficializado e institucional? Os € 500,00 que pagámos com bastante sacrifício, é pertença da Câmara? Para fazer o quê? Reduzir o mármore a pó e fazer novas pedras para negócio?

Já desabafei. Não fomos visitar-te mas nunca te esquecemos. Todos os dias, a todas as horas.